no faro da notícia

Artigo: Receita defende que ICMS não integra cálculo de PIS e COFINS no Parecer nº 10

A Tese do Século vem gerando grandes dúvidas por parte das empresas e um universo de ambiguidades foi aberto após a publicação do Parecer nº 10

Bianca Bispo

IDEIACOMM

Systax

16 de setembro de 2021 - 15:36

Em meados de agosto, a Receita Federal do Brasil (RFB) publicou o Parecer nº 10 da Coordenação-Geral de Tributação (Cosit), em detrimento da decisão do Recurso Extraordinário (RE) 574.706 pelo Supremo Tribunal Federal e dos respectivos embargos declaratórios, responsável por definir a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS – que se popularizou com o termo “Tese do Século”, e especificando que, para o cálculo dos créditos das contribuições, o valor do ICMS destacado na Nota Fiscal também deve ser excluído da base de cálculo.

Nesse sentido, vale ressaltar que o acórdão do RE 574.706 não entrou neste mérito, e que também não há base legal que fundamente tal entendimento. Porém, por conta dessa compreensão da Receita Federal, há o risco de possíveis autuações por parte do Fisco, assim como em relação à exclusão do ICMS nas vendas, pois a decisão dos embargos declaratórios ainda não foi publicada, além de ainda termos soluções de consulta contrárias.

É importante destacar, neste contexto, que a RFB está em constante ação quanto aos efeitos jurídicos da decisão do STF, principalmente na tentativa de minimizar efeitos desfavoráveis à arrecadação. E, justamente, indo ao encontro de tais ações, tem-se o Parecer nº 10 da Cosit, anexado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), que é o foco dessa análise. Tal Parecer, resumidamente, não discute mais o débito do contribuinte e passa a avaliar as restrições de crédito. Com isso, o entendimento adotado pela RFB pode embasar possíveis autuações aos contribuintes.

Pronunciamento da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional

Ademais, no final do Parecer, foi solicitado o pronunciamento da PGFN no sentido de ratificar ou retificar o entendimento, o que se faz necessário esperar este comunicado por parte do órgão jurídico. Neste caso, se o conteúdo do Parecer for ratificado pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, considerando que o contribuinte não concorde com tal entendimento, o mais adequado é que este ingresse com uma ação judicial, para que se faça valer o seu direito e que se resguarde de possíveis autuações.

Todo este cenário se dá devido à falta de embasamento legal e a omissão do assunto no RE 574.706. Existe uma clara controvérsia jurídica quanto à essa situação, tendo em vista que é possível contestar de que forma a legislação rege, de fato, os créditos do PIS e da COFINS, uma vez que o STF ainda não apresentou um posicionamento claro.

Outro ponto que vale ser mencionado é que a base de cálculo do crédito não possui relação com a materialidade do crédito do PIS e da COFINS. A Tese do Século não trouxe uma avaliação concreta ou um debate em torno do crédito da entrada. Dessa forma, interpretação da RFB pode dificultar a compreensão sobre a natureza jurídica.

Por fim, é inegável que o assunto é de grande complexidade, gerando, assim, dúvidas em empresas que não são especializadas na legislação tributária brasileira ou que não estão acompanhando a Tese do Século e seus desdobramentos que vêm acontecendo com uma alta frequência. Por isso, para mitigar riscos e identificar novas oportunidades, é fundamental que haja uma parceria com especialistas sobre o assunto, que poderão auxiliar efetivamente as operações tributárias no cotidiano corporativo.

*Lucas Moreira é Consultor Tributário na Systax, empresa de inteligência fiscal.

Pautas relacionadas

Certificação ISO 50001 auxilia empresas a enfrentarem a crise energética

Dentre as diversas crises com as quais a população brasileira tem tido que lidar nos últimos meses, a mais recente envolve uma crise hídrica e energética sem precedentes. Mesmo o Governo afirmando que é baixo o risco de desabastecimento total de energia, o cenário já preocupa empresas e famílias em razão dos aumentos constantes das […]

Andrezza Hernandes Rodrigues

APCER

1 semana atrás

Os impactos das IFRS 16 na gestão corporativa das empresas

A vigência das IFRS 16 (International Financial Reporting Standards ou Normas Internacionais de Relato Financeiro em tradução livre), a partir de janeiro de 2019, promoveu uma série de mudanças no ambiente contábil das empresas. A fim de dar mais transparência às finanças das companhias, a nova regra, que é uma atualização das normas internacionais de […]

Bianca Bispo

Arklok

1 semana atrás

Sistema lean traz ganho de produtividade de 60% em indústria de válvulas

Com o intuito de alcançar a máxima qualidade com o mínimo desperdício, a GEMÜ Válvulas e Sistemas de Medição e Controle implantou o sistema lean de produção enxuta. O resultado surpreendeu: na área de vulcanização, o ganho de produtividade foi de 27%. Agora, após a conclusão do projeto na área de pintura, a surpresa foi […]

Helena Carnieri

GEMU

3 semanas atrás

  • Todos
  • Economia
  • Justiça
  • Outros
  • Política

Resultado Total: 0

Digite o assunto para exibirmos as pautas relacionadas